Com pouco espaço para erros, a pressão por resultados e a necessidade de implantar a cultura da inovação, como fica o executivo nesse processo?

Inovação: essa é a palavra da vez, que tem norteado ações, projetos e iniciativas de empresas em todo o Brasil. Afinal, em mercados cada vez mais tecnológicos e competitivos, ela deixou de ser um luxo para se tornar uma necessidade para os empresários e empreendedores e, até mesmo, um fator decisivo para a própria sobrevivência dos negócios.

Um estudo da empresa Accenture realizado em 2018 com 148 executivos da América Latina mostrou que, para 60% deles, seus negócios podem desaparecer se não forem feitos investimentos em novas tecnologias e inovação. Já a Confederação Nacional da Indústria apontou que, para 31% dos empresários, o grau de inovação da indústria deverá ser alto ou muito alto nos próximos cinco anos, especialmente por necessidade.

Em meio a essa necessidade, as companhias enfrentam um cenário de crescente instabilidade, decorrente de fatores políticos e econômicos que impedem a retomada do crescimento e a realização de novos investimentos estrangeiros. Com pouco espaço para erros, a pressão por resultados e a necessidade de implantar a cultura da inovação, como fica o executivo nesse processo?

Neste momento crucial, muitos executivos passam a se sentir inseguros. Eles sabem da importância dos projetos inovadores, mas também entendem que há riscos, especialmente com grandes quantias financeiras envolvidas no processo. Mas, com alguns cuidados essenciais, é possível se proteger dessas dificuldades e investir com segurança.

 

 

Primeiramente, ele precisa estar bem assessorado e preparado para conseguir colocar em prática o que planeja. O executivo deve envolver uma equipe capaz de se engajar no projeto e de buscar um objetivo comum além de conquistar o respaldo da diretoria.

Com uma equipe alinhada, é preciso estabelecer prazos e metas para que a gestão de projetos aconteça de maneira ágil e eficiente. Nesse sentido, é essencial realizar uma gestão de projetos com controle de metas, reports e acompanhamento dos trabalhos realizados. É isso que impedirá os desvios de rumo nos objetivos iniciais.

E, claro, contar com as ferramentas e tecnologias certas para impulsionar o negócio de maneira ágil também possibilita reduzir as incertezas e validar uma determinada solução. Para isso, pode ser muito válido contar com produtos e serviços complementares de parceiros que detêm a experiência para suportar a execução deste desafio, afinal isso implica em pessoas e mudanças.

Afinal, hoje a economia é feita de forma colaborativa. Nenhuma empresa consegue evoluir sozinha. Por falar evolução não há como não tratá-la como um projeto. Modelos como os de startups são fonte de referência para produzir de maneira ágil possibilitando ajustes necessários ao longo do trajeto de modo a assegurar o cumprimento dos objetivos, alavancando mudanças. A dinâmica do mercado atual é constante, então não dá para ficar travado pelo medo de errar ou perder muito tempo com longos e exaustivos planejamentos.

É possível mudar com segurança? Sem dúvida! Com bons parceiros é possível neutralizar as incertezas e ter mais propriedade para decidir por reagir optando em investir em inovação e alcançando resultados efetivos.

Fonte: https://administradores.com.br

Duvidas quanto ao crescimento da sua empresa? A gestão contábil pode te ajudar

De acordo com um bom leque de possibilidades, você seguiu um curso que tem levado a sua empresa ao crescimento. Mas isso pode levar você ter uma série de dúvidas, até porque toda novidade possui os seus estranhamentos, logo de cara.

Todo empresário, nos moldes de crescimento da sua empresa, tem que arcar com os riscos, mas sempre tendo domínio quanto a realidade da empresa.

Dentro de um contexto de gestão contábil e toda análise acerca, não só das questões financeiras da empresa, mas de todo projeto estrutural, escrevemos esse artigo.

Você, como empresário, precisa ter total domínio quanto aos “boons” do seu negócio, pois eles podem ser prejudicais, se desenfreados. É quando entramos naquele papo de que menos é mais.

A gestão contábil pode trazer um curso de etapas e construção de projetos muito importante para a realidade da empresa e o seu crescimento como um todo e de forma organizada.O conjunto do crescimento

Você, como empresário, independentemente do segmento, precisa trabalhar com o público – seja minimamente por causa de conceitos sociais.

E quando falamos de opinião pública, falamos, mesmo que “sem querer” de um crescimento coletivo, ou seja, em conjunto.

A partir daí temos a linha tênue entre o crescimento conjunto e a influência direta (seja negativa ou positiva) e a forma que elas influenciam o crescimento, de forma em geral.

Por isso cabe a gestão contábil atuar diretamente nesse momento de gestão da empresa, para o controle das influências externas no modo de gerenciamento do negócio.

Nesse momento é importante, também, que você não tenha o dedo podre e saiba quem vai caminhar ao seu lado dentro da visão empresarial.

A partir daí cabe a você, empresário, em conjunto com os dados fornecidos pelas observações da gestão contábil, organizar lideranças e ter em mãos todo um organograma responsável pelo desenvolvimento metódico de todos os processos da empresa, com todos os departamentos falando a mesma língua em todas as ações.

Se preciso for, e é muito importante, busque uma mentoria empresarial.Acompanhamento

A tempestade de perguntas para destrinchar as principais características e forma que a sua empresa deve trabalhar, de forma honesta e transparente.

Esse acompanhamento pode colocar vários poréns na mente do empresário, ou até mesmo fazer com que a empresa mude a sua rota de mercado.

A entrevista permite a criação de uma identidade jurídica prática da empresa e a ideia de quais seriam as melhores parcerias que poderiam ser firmadas com essa empresa, que seria interessante dentro de uma via de mão dupla.

Por fim, a relação com o poder, dentro dos aspectos de liderança em potencial da parceria também são trabalhado dentro desse contexto de montagem estratégica que potencializa as ações desenvolvidas em cada parte da parceria e é de fundamental importância para o descobrimento da identidade da empresa, bem como o que ela pode fazer para crescer a cada dia.Adendo

No processo de mentoria empresarial, talvez salte aos seus olhos um fator fundamental para você como indivíduo empresário, a autocrítica. E esse processo de se criticar em todos os momentos para saber onde você está brecando o seu negócio de crescer, devido a questões pessoais do seu jeito e gênio, é muito importante.

O fato da sua empresa ser sua, até pode dar o direito prático de mandar e desmandar a torto e a direito, mas isso ser algo saudável são outros quinhentos. Logo, muitas vezes o empresário, até mesmo sem arrogância, mas, sim, com ímpeto e boa vontade acaba sendo uma pedra de tropeço para o seu próprio negócio.

Dê liberdade para gestores e chefes de departamento e não queira se meter em todo tempo em todos os processos do seu negócio, é surreal a medida em que a sua empresa vai crescendo. Esteja por dentro, dê dicas, imponha limites, mas não tente ficar com o dedo em cada processo em todos os tempos, pois isso vem a ser um freio de mão na perspectiva de crescimento da sua empresa.

Faturamento: como o MEI deve calcular?

Quem está começando a empreender acaba tendo dificuldade para separar o que é lucro e faturamento. Para exemplificar: lucro é o que você ganha após descontar todos os custos e despesas. Já o faturamento é tudo o que você recebe independente dos gastos, ou seja, o bruto.

Em nosso texto, vamos explicar só que é o faturamento e explicar o que o MEI precisa fazer para não ter problemas na hora de declarar o Imposto de Renda.

Se o Microempreendedor Individual pretende manter-se sob este regime, seu faturamento anual não pode ultrapassar os R$ 81 mil reais. O que confunde o empreendedor é que este valor deve ser calculado proporcionalmente ao tempo de formalização.

Explicando o faturamento

A primeira coisa que deve-se entender é que o valor do limite indicado aos MEI’s é o total de tudo que você recebeu durante todo o ano. Ou seja, não deve-se subtrair nenhuma despesa deste valor. Um exemplo: vamos supor que no mês de outubro, você faturou R$ 3mil reais, mas teve despesas de R$ 4mil reais. O resultado final é que você teve um prejuízo de R$ 1mil reais, porém seu faturamento continuou sendo de R$ 3mil.

Agora, se você recebeu um valor de R$ 5mil reais e teve uma despesa de R$ 2mil, seu lucro foi de R$ 3mil, mas seu faturamento continua sendo de R$5mil.

O limite de faturamento para este ano é de R$ 81mil e este valor deve ser dividido em 12 meses. Em resumo: quem se formalizar em janeiro poderá ter este faturamento total. Nos demais casos, o faturamento é contado proporcionalmente de acordo com o número de meses trabalhados.

Contando o faturamento do MEI

Para saber o valor mensal é muito simples: divida os R$ 81mil por doze meses e você terá o valor de R$ 6750 por mês. Resumindo: se você trabalhou como MEI por seis meses, saiba que seu faturamento deve ser até seis vezes este valor.

O que acontece se o valor ultrapassar os R$ 81mil?

Existem duas opções:

A primeira é que se o seu faturamento ultrapassou o valor limite, mas não mais que 20% (R$ 97200), você poderá manter-se como MEI até o fim do ano vigente, porém deverá pagar uma DAS complementar. Após o fim do ano você será desenquadrado deste regime.

No segundo caso, ultrapassando o valor e também os 20% de tolerância, o MEI é obrigado a pedir imediatamente o desenquadramento desta categoria através do Portal do MEI.

Caso isso aconteça, é um ótimo sinal, pois significa que sua empresa está indo bem e você está conseguindo faturar cada vez mais.

Hamburgueria artesanal: dicas para ter sucesso

Abrir uma hamburgueria artesanal pode ser uma ótima opção para quem quer ser dono do seu próprio negócio. Muitas empresas deste segmento tem conseguido ótimos resultados, pois é uma área em expansão.

Mas para conseguir obter sucesso, é preciso ficar atento às oportunidades e principalmente evitar erros que podem atrapalhar nessa nova empreitada. Neste artigo, vamos dar algumas dicas essenciais para quem quer se arriscar e abrir uma hamburgueria. Veja:

– Localização

Encontre um ponto estratégico e com um bom fluxo de pessoas. Fique atento aos horários em que a passagem de pessoas pelo local é maior, pois isso vai te ajudar na hora de montar sua estratégia de venda. Além disso, pense no espaço interno que você precisará, pois normalmente os restaurantes utilizam 40% de seu espaço para a cozinha e os 60% restantes para área de atendimento aos clientes.
Outra opção é a utilização de um food truck, mas lembrando que mesmo nestes casos, a localização do ponto deve levar em conta os quesitos anteriores.

– Equipamentos

Investir nos equipamentos industriais também é muito importante, pois quanto mais profissional seu negócio for, mais credibilidade passará e automaticamente atrairá mais clientes. Existem alguns equipamentos que são considerados como básicos em qualquer cozinha, são eles: freezer, refrigerador, mesa de preparação, grelha, cortadores e fritadeiras.

– Identifique seu público

Este item se comporta da mesma maneira que a escolha do ponto onde abrirá seu negócio. O público é de extrema importância para o sucesso da sua empresa. Se achar necessário, limite seu público-alvo até obter mais confiança a fim de expandir seu empreendimento.

– Analise a sua concorrência

Acompanhe outras hamburguerias e fique por dentro sobre os produtos oferecidos e o que é mais vendido em cada um. Assim ficará mais fácil na hora de criar o seu cardápio. Identifique também em quais setores o seu concorrente se destaca e em qual falha e tente tomar isto como uma lição.

 – Licenças 

Este é um dos passos mais importantes e vai depender da cidade onde seu negócio será aberto. Mas de qualquer maneira, é preciso saber exatamente quais as licenças e alvarás serão necessários para abrir uma empresa neste ramo. Esteja com toda documentação em ordem e evite transtornos futuros.

Usar o marketing de conteúdo pode alavancar suas vendas

Hoje em dia, muitas empresas tem utilizado o Marketing Digital para alavancar suas vendas. Para sair na frente, é necessário apostar nessa estratégia para conseguir destaque em meio à concorrência. Criar um blog tem sido uma ótima ferramenta para atrair público e isso faz parte do que chamamos de Marketing de Conteúdo.

Criando conteúdos relevantes, uma marca consegue se posicionar bem nos mecanismos de busca e assim conquistar o tráfego orgânico. Além disso, os leitores passam a conhecer mais sobre o assunto tratado e tendem a fechar compras com mais facilidade. Existe outro ponto positivo: o profissional encarregado de criar o blog e os conteúdos, conseguirá obter mais conhecimento através de suas pesquisas.

Primeiros passos:

Assunto

Este passo é um pouco óbvio, pois a primeira coisa a ser feita é a escolha do tema. O ideal é que você opte por um assunto que tenha muito conhecimento ou até mesmo domine.

Escolha e compre seu domínio

Escolha o domínio utilizado no seu site/blog e dê preferência para nomes que deixem claro o seu nicho. Depois faça o registro e compre também a hospedagem.

Defina sua persona

Definir seu público-alvo é fundamental para que nos próximos passos você consiga definir quais as estratégias utilizadas para alcançá-lo. Faça uma lista e projete todas as características de seus possíveis clientes. Dessa forma, fica muito mais fácil criar conteúdos que atinja essas pessoas.

Saiba como funciona o SEO

Para conquistar boas posições nos mecanismos de busca é necessário que se faça um bom trabalho de SEO. Ter um site rápido, páginas responsivas, definir palavras-chaves, são algumas das técnicas utilizadas para manter um blog no topo.

Conteúdos de qualidade

Os conteúdos devem ser interessantes, relevantes e responder as dúvidas do seu público. As pessoas procuram soluções para os seus problemas e se seu conteúdo ajudar, as chances do seu blog crescer são muito boas.