O aumento do número de empreendedores no Brasil

O empreendedorismo tem sido o fator impulsionador da nossa economia desde sempre,  porém de alguns anos para cá, o número de empreendedores aumentou consideravelmente. O motivo para tamanho crescimento é a crise financeira que o país passa já há alguns anos.

Dito isso, sabemos que existem duas maneiras de empreender: aqueles que tem um planejamento e os que empreendem no susto, após perder o emprego. Tanto uma maneira quanto a outra tem seus prós e contras. Mas existe um dado que é muito preocupante: muitas empresas fecham as portas com pouco mais de um ano de existência. Isso ocorre, principalmente, por falta de um planejamento bem feito.

Muitas das pessoas que ficam desempregadas, acabam de desesperando e resolvem empreender por medo de ficar sem nenhuma renda. E o que acontece? Não planejam como usar seus recursos, não tem conhecimentos suficientes para a devida administração do negócio e torna tudo uma bomba relógio.

Para que um empreendimento dê certo, é preciso observar, estudar, pesquisar, avaliar o nicho de mercado em que irá se inserir e elaborar um bom Plano de Negócios. Ele servirá como uma guia de todas as etapas de abertura de sua empresa. Além disso, ele não precisa ser definitivo, durante o seu “percurso” pode haver alterações que você considere importantes. O que fazer para evitar isso?

Um dos cuidados que o empreendedor deve ter é com o entusiasmo, pois não basta apenas ter conhecimento técnico sobre seu negócio. É preciso entender um pouco sobre logística, finanças e administração no geral. Vamos a um exemplo clássico: Maria é professora e dá aula há mais de cinco anos em uma escola conceituada. Mas ela tem um hobby que é cozinhar, coisa que faz muito bem. Em um dado momento, Maria perde seu emprego e se vê sem saber o que fazer. Seus amigos a incentivam a usar seus conhecimentos culinários e sua rescisão de trabalho para abrir um restaurante. Pode dar certo? Claro! Mas o que devemos ter em mente é que não basta apenas saber cozinhar, pois a Maria terá que cuidar das entregas, do financeiro, da compra de insumos, etc.

A falta de um bom Plano de Negócios é uma falha muito comum em muitos negócios que começam no susto. Nestes casos, o ideal é que você utilize os serviços de uma boa assessoria contábil que te ajudar com toda parte burocrática e te deixar livre para cuidar de outros pontos da sua empresa.

Os primeiros passos para se regularizar como MEI

Antes de qualquer coisa, fique ciente que todo o processo de abertura e formalização do Microempreendedor Individual, não desprende custos ao empreendedor que interessar. O processo é gratuito e pode ser feito virtualmente, no Portal do Empreendedor.

Porém, é natural que no processo você venha necessitar de uma consultoria contábil para manter em ordem todas as suas finanças e processos burocráticos. Por isso, neste artigo vamos fornecer uma primeira consultoria contábil no que se diz a respeito da abertura e formalização do MEI para que você venha desempenhar o seu serviço de forma autônoma.

A abertura, bem como a formalização e a declaração no primeiro ano pode ser feia também gratuitamente por meio de serviços contábeis, por meio do Simples Nacional.

O MEI não precisa obrigatoriamente ter um contador, mas o indicado é que você tenha um de suporte para a apresentação de documentação e cuidado financeiro. Antes de definir uma contabilidade para cuidar do seu CNPJ, busque algumas consultoria contábeis e veja se essas contabilidades podem ajudar em seu processo.

No próprio Portal do Empreendedor está acessível diversos fóruns para retirada de dúvidas quanto a formalização do MEI. Então, o ideal é que você faça uma pesquisa razoável antes de formalizar como Microempreendedor Individual. Nesse momento, é muito importante que você esclareça a atividade na qual você irá se formalizar, quanto também as questões individuais do seu estado ou município que têm total liberdade de acrescer processo e valores na formalização do MEI.

Passe por uma consultoria contábil, também, para se instruir no teto de gasto estabelecido pelo MEI que é de 60 mil reais.

Entre no site “Portal do Empreendedor” por meio do endereço: portaldoempreendedor.me. Através do próprio site você terá encaminhado o processo de cadastramento do seu MEI em poucos minutos e de forma gratuita. Mas se ainda houver dúvidas específicas quanto ao cadastro do MEI, o ideal é entrar em contato com o SEBRAE, que disponibiliza gratuitamente um telefone para contato em: 0800-570-0800.

O Microempreendedorismo Individual veio para auxiliar os pequenos empresários a conseguirem se formalizar de maneira menos burocrática. Em poucos passos é possível ter seu CNPJ e aproveitar os benefícios que o acompanham.

Dicas para abrir uma empresa no ramo de alimentação saudável

O ramo da alimentação cresce a cada dia no Brasil, mesmo em tempos de crise. Hoje em dia, as comidas saudáveis tem chamado ainda mais a atenção tanto daqueles que querem se alimentar melhor quando dos que querem empreender neste ramo.

O mercado está aquecido, pois cada dia mais as pessoas tem sentido a necessidade de melhorar sua saúde através da sua alimentação. Por isso, se você se interessou por este mercado e quer empreender, aconselhamos que acompanhe nosso artigo:

Investimento

Um dos pontos altos desta área é o investimento relativamente baixo. O maior gasto inicial é com os insumos e as embalagens. Mas atente-se em ter boas panelas e um fogão com qualidade para iniciar o seu negócio sem correr risco de deixar seus clientes na mão.

Plano de Negócios

Mesmo que você já tenha um negócio no ramo da alimentação, o ideal é que você crie um plano de negócios que tenha os detalhes e conceitos do seu projeto. Ele vai servir como um guia para os seus próximos passos.

Invista na venda de pacotes e planos

Muitas pessoas que passam a se alimentar de maneira saudável, resolvem transformar isso em um novo estilo de vida. As chances de agradar seus clientes aumentam muito, quando você cria pacotes semanais ou mensais e oferece descontos para quem fechar com você. Isso atrai novos clientes.

Tenha uma estrutura adequada

Caso você vá abrir um restaurante, preocupe-se com a higiene e também em ter um espaço amplo e arejado para atender seus clientes. Lembre-se que a cozinha deve ser organizada e muito limpa.

Se você trabalhará apenas com delivery, sua maios preocupação será com os materiais de trabalho e com a entrega.

Procure conhecimento

Para a criação dos cardápios, você precisa entender quais alimentos podem ou não ser congelados e a maneira correta de preparar cada um deles. Fazendo isso de maneira equivocada, você pode perder o sabor do alimento além de perder matéria-prima e acabar ficando no prejuízo.

Além do conhecimento técnico, é interessante também, que você entenda um pouco de finanças. A administração da sua empresa deve funcionar de maneira correta e em parceria com os outros setores.

Para finalizar, procure regularizar sua empresa e conseguir assim os benefícios através disto. O MEI é uma ótima opção para quem vai iniciar um negócio.

O aumento da inadimplência após dez anos de MEI

O programa do microempreendedor individual (MEI) completou dez anos em julho e tem ajudado milhões de brasileiros a se formalizarem e assim conquistarem independência financeira.
Hoje em dia são cerca de 8,6 milhões de pequenos empresários cadastrados, mas infelizmente uma grande parcela destes estão inadimplentes. Quando isso ocorre, o microempreendedor acaba perdendo muitos dos direitos conquistados com a formalização.
Segundo uma pesquisa feita em maio deste ano, cerca de 54% dos MEI’s estão com atraso no pagamento da taxa (DAS).

 

 

Mas o que acontece com os inadimplentes?

O primeiro passo é perder os benefícios que são:

  • Salário-maternidade (a partir de 10 meses de contribuição);
  • Aposentadoria por invalidez e auxílio-doença (após 12 meses de contribuição);
  • Auxílio-reclusão;
  • Pensão por morte para seus dependentes.

Além disto, o período sem pagamento não será contabilizado como tempo de contribuição para a aposentadoria.

Formalização

A formalização é importante  para os pequenos negócios e também para os trabalhadores autônomos como vendedores, doceiros, manicures, cabeleireiros, eletricistas, entre outros e tudo isso a baixo custo. Negócios que faturam até R$ 81 mil por ano (ou R$ 6,7 mil por mês) e têm no máximo um funcionário podem aderir ao MEI. Além de tudo isso, o empreendedor poderá emitir  notas fiscais, alugar máquinas de cartão e terá acesso a empréstimos que devem ser utilizados em seu negócio.
Para saber se seu negócio se enquadra no MEI, basta acessar o Portal do Empreendedor e verificar se sua empresa está dentre as 500 atividades listadas.

Inadimplência

Para reduzir a inadimplência, o governo tem tentado facilitar ao máximo o pagamento das guias. O empreendedor consegue pagar online e a iniciativa foi desenvolvida para conscientizar os trabalhadores.

Valores

Hoje, o custo mensal do registro é de R$ 49,90, que pode ser acrescido de R$ 1 se o ramo exercido for comércio ou indústria (ICMS), ou de R$ 5, em ISS, se for do ramo de serviços – dá um total de R$ 54,90. Caso sua empresa envolva as três atividades (comércio, indústria e serviços), o valor mensal vai para R$ 55,90.

O plano de negócios é a chave pra sua empresa

Empreender tem sido cada vez mais comum em nosso país e isso se deve aos momentos de crise que o Brasil e o mundo tem passado. Cada vez mais, as pessoas buscam criar seu próprio negócio como uma maneira de escapar dessa maré ruim.
O que devemos lembrar é que não basta apenas a vontade de ser dono do seu próprio negócio, é necessário também muito planejamento.
Infelizmente, muitas empresas fecham as portas antes mesmo de completar um ano de existência e isso acontece porque na ânsia de empreender muitos acabam cometendo erros pelo caminho.Esse planejamento deve ser feito através de um Plano de Negócios que, nada mais é que, um documento com as informações necessárias para iniciar a abertura de uma empresa. Em posse dele, o empreendedor terá uma melhor visão de mercado e mais informação sobre o setor escolhido.
Muitos não tem ideia de como começar e como criar este documento, mas saiba que ao fazê-lo, você pode evitar muitas dores de cabeça, pois ele vai nortear o seu caminho e facilitar a sua vida de empreendedor.

Como criar o Plano de Negócios

O ponto inicial é definir quais tipos de serviços e/ou produtos serão oferecidos e fazer uma ampla pesquisa sobre os mesmos. Em seguida, deve definir qual o público-alvo e quanto tempo será necessário para obter de volta o dinheiro investido.

Defina também qual o enquadramento tributário e o capital social para inicio do negócio. Neste capital é interessante acrescentar um investimento para o marketing que será de total importância, principalmente nos primeiros meses.
Tão ou mais importante que os passos anteriores é a análise financeira. Deve ser computado todos os gastos e investimentos fixos e variáveis, além de estimar capital de giro e faturamento mensal da empresa. Nestes investimentos devem estar inclusos os custos de materiais e matérias-primas.

Ao final do Plano de Negócios é recomendável que o empreendedor faça simulações de valores com relação as vendas, que devem ser pessimistas e otimistas. É uma maneira de tentar de precaver no caso de uma situação desfavorável e já pensar em ações que solucionem os problemas.

Mesmo ao final do processo, é interessante que o empreendedor revise o Plano de Negócios periodicamente, inclusive após a abertura da empresa. Isso faz com que o negócio ande nos trilhos e diminui consideravelmente as chances de fechamento.