Como criar um plano de negócios e garantir o sucesso de seu empreendimento

O empreendedorismo no Brasil tem sido pauta constante em diversos meios de comunicação, pois tem vivido uma crescente em tempos de crise. Todos os dias surgem mais pessoas em busca de criar próprio negócio com o objetivo de viver por seus próprios meios.
A vontade de empreender não é o suficiente para alcançar o sucesso, ela é apenas o ponto inicial. O que vai dar forma à sua ideia é o planejamento. Ele vai evitar que o futuro empresário cometa erros no caminho que atrapalhem a evolução do seu negócio.

A grande maioria não sabe muito bem como iniciar esse planejamento e assim evitar a falência precoce. O primeiro passo é criar um Plano de Negócios que vai servir como bússola para nortear o caminho a ser seguido.
O Plano de Negócios, nada mais é, que um documento com as informações necessárias para iniciar a abertura de uma empresa. Em posse dele, o empreendedor terá uma melhor visão de mercado e mais informação sobre o setor escolhido.

Comece definindo quais tipos de serviços e/ou produtos serão oferecidos e faça uma ampla pesquisa sobre os mesmos. Em seguida, deve definir qual o público-alvo e quanto tempo será necessário para obter de volta o dinheiro investido.

Opte por qual enquadramento tributário vai se inscrever e o capital social para inicio do negócio. Neste capital é interessante acrescentar um investimento para o marketing que será de total importância, principalmente nos primeiros meses.

Faça uma análise financeira de qualidade, nela deve ser computado todos os gastos e investimentos fixos e variáveis, além de estimar capital de giro e faturamento mensal da empresa. Nestes investimentos devem estar inclusos os custos de materiais e matérias-primas.

É recomendável que o empreendedor faça simulações de valores com relação as vendas, que devem ser pessimistas e otimistas. É uma maneira de tentar se precaver no caso de uma situação desfavorável.

Mesmo após a abertura da empresa, o empreendedor deve sempre manter o planejamento durante sua gestão. O ideal é que, periodicamente, revise o Plano de Negócios para ter uma visão de como anda a saúde financeira do negócio. Essa é uma maneira de evitar transtornos e garantir uma administração sem sustos.

Quem deve declarar o Imposto de Renda 2019?

O prazo para inicio da declaração de Imposto de Renda de 2019 iniciou em 7 de março termina em 30 de abril de 2019 às 23:59. Lembrando que este ano o período está mais curto devido o feriado de Carnaval. Em resumo, este ano há uma desvantagem com relação ao tempo, uma vez que em anos anteriores, a população tinha cerca de dois meses para entregar a declaração. Por isso, é imprescindível que o contribuinte comece o quanto antes o preenchimento de suas informações, pois a não entrega dentro do prazo pode acarretar uma multa que vai de R$ 165,74 até o valor de 20% em cima do imposto devido. Além disso, a omissão de informações pode fazer o contribuinte cair na tão temida “malha-fina”.

Conheça os critérios utilizados para definir quem deve declarar o Imposto de Renda:

* Contribuintes que residam no Brasil e que tenham tido ganhos, em 2018, superiores ao valor de R$ 28.559,70 ou R$ 1903,98 mensais;
* Pessoas que tenham ganho, em 2018, capital por meio de alienação de bens e direitos;
* Contribuintes que tenham tido ganhos não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte e que tenham ultrapassado o valor de R$ 40 mil no ano passado;
* Pessoas que praticam atividade rural e tenham tido ganhos superiores a R$ R$ 142.798,50;
* Pessoas que tenham, até o dia 31 de dezembro de 2018, tomado posse de algum bem que ultrapasse o valor de R$ 300.000,00.
* Pessoas que tenham se tornado residentes em nosso país em qualquer mês de 2018 e tenha permanecido assim até o dia 31 de dezembro de 2018.
* Qualquer pessoa que tenha optado pela  isenção do imposto incidente em valor obtido na venda de imóveis residenciais e tenha utilizado o valor na aquisição de imóveis residenciais localizados no país. Isso dentro de 180 dias após a venda.

Nos anos anteriores, o contribuinte não precisava apresentar o CPF de seus dependentes, pois tratava-se de informação facultativa, porém em 2019, torna-se obrigatório o preenchimento independente da idade do mesmo.
Outro ponto que está diferente este ano é com relação aos bens do contribuinte que, a partir de agora, devem estar detalhados na declaração. Além disso, a alíquota efetiva deverá constar ao lado dos valores a pagar e da restituição a receber.

Caso o contribuinte esteja com dificuldades no preenchimento do Imposto de Renda 2019, devem procurar um escritório contábil e para lhe auxiliar e sanar todas as dúvidas.

O que é IRPF? Saiba tudo sobre a declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física em Teresina

Saiba tudo sobre o IRPF neste artigo e não tenha problemas quanto a declaração do seu imposto de renda em Teresina

Independentemente de ser, ou não, a primeira vez que você declarará o seu Imposto de Renda de Pessoa Física é sempre proveitoso ter informação quanto essa prática. Afinal, todos querem se ver livres do leão.

Por isso, para que você não tenha problemas com a declaração em Teresina fizemos esse post para que você tire todas as suas dúvidas sobre o IRPF e saiba tudo sobre a declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física.

Como declarar o IRPF

O Imposto de Renda de Pessoa Física é um imposto no qual toda pessoa física residente no Brasil e que fature acima do que é estipulado pela Receita precisará declarar anualmente. O contribuinte deverá expor o quanto lucrou para que o governo avalie, sobre possibilidade de ser restituído parcialmente, caso haja um entendimento que o cidadão pagou impostos superiores ao que deveria.

Para declarar o IRPF, você deverá enviar todas as suas declarações de renda, de forma especificada, para que a Receita Federal avalie. Por sua vez, a Receita tem como função avaliar se houve pagamento de impostos de forma coerente e dentro da legalidade Feito o cálculo, será informado se os impostos foram calculado da maneira certa e se você, segunda os cálculos da Receita Federal, tenha pago um valor maior ao que deveria, poderá ter restituição de parte do valor.O que deduzir na declaração do IRPF

É importante para o contribuinte saber antes de declarar que existem dois tipos de deduções do Imposto de Renda de Pessoa Física, são eles: Declaração Completa e Declaração Simplificada. A diferença entre eles entra no campo do que for declarado.

Para que a base de cálculos seja diminuída, existe a possibilidade de abatimento.

Na Declaração Completa, gastos em relações com saúde, educação, questões filantrópicas etc, podem ser abatidos.

Já na Declaração Simplificada, o pagamento é fixo, sendo 20% sobre a renda do tributo. Existe uma limitaçaõ de valor, nesse caso, que é de R$16.754,34.

Prazo para a declaração do IRPF

O início desse prazo acontece, geralmente, no começo de março e tem a duração de dois meses, encerrando no final do mês de abril. Especificamente em 2018, o prazo foi definido pelo governo entre 2 de março e 30 de abril.

Documentação necessária para declarar o IRPF

Você deverá ter em mãos alguns documentos para poder declarar o Imposto de Renda de Pessoa Física em Teresina, são esses:

  1. Declarações de anos anteriores
  2. Caso você esteja declarando pela primeira vez, precisará entregar o título de eleitor
  3. Rendimentos como empregador
  4. Indicadores de rendimentos bancários
  5. Informes de previdência privada
  6. Comprovação de despesas
  7. Bens de direito (comprovação de móveis e imóveis)

Alguns documentos poderão ser pedidos a parte, como: notas ficais, adição de dependentes, contribuição de INSS, rendimentos judiciais etc.Restituição do IRPF

Isso passa pela Receita que ao final do processo de cálculo chega no resultado da sua declaração, caso os valores cheguem a conclusão que houve um pagamento de tributos maior do que o necessário, o governo terá até dezembro do ano em questão para te restituir. Ao chegar ao resultado, você terá a informação se tem algum crédito, caso tenha, deverá ser restituído pelo governo até dezembro do ano em questão.

Geralmente, não temos muito conhecimento desse processo e ficamos cheio de dúvidas como funciona e até relacionadas a valores de recebimento.

Por outro lado, da mesma forma que você pode ganhar, poderá perder, também, pois caso a Receita constate que você pagou menos impostos do que o necessário o valor concluído deverá ser pago através de débito em conta ou boleto bancário.

Quais impostos a sua empresa pagará

É impreterível que você faça a declaração do IRPF, caso seja obrigatório. A omissão na declaração pode acarretar multas e situações inconvenientes, como, por exemplo, a pendencia do seu CPF, o que acarreta em:

  • Impossibilidade de retirada de passaportes
  • Impossibilidade na retirada de certidões negativas
  • Impossibilidade na efetivação de empréstimos
  • Impossibilidade na inscrição de Concursos Públicos
  • Problemáticas em transações bancárias

Além da omissão os atrasos e perdas de prazos geram multadas de 1% mensais em relação ao valor declarado. Essa valor acumulativo pode chegar em até 20%.

Caso caia na malha fina do IRPF, o que fazer?

Antes de qualquer coisa, você sabe o que é “Malha Fina”? A expressão “caído na malha fina” é usada quando a Receita detecta algumas irregularidade na declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física. Essas falhas ocorrem através de pequenas divergências, nesse caso a correção é feita rapidamente através do Portal do E-Cac.

Porém, essas irregularidades podem acontecer devido a adição e exclusão de informações, para isso é importante a alteração através de uma Declaração de Retificação.